sexta-feira, 20 de julho de 2012

88% dos usuários já espionou ex-namorada(o) no Facebook

Pesquisa feita pela estudante de mestrado Veronika Lukacs mostra que boa parte dos usuários também usou o perfil de algum amigo para dar uma espiada
São Paulo – 88% dos usuários de Facebook usam o serviço para dar uma olhada no que a(o) ex anda fazendo - comportamento que pode classificá-los como "stalkers".


Estudo também mostra que mais de metade dos entrevistados admitiu que analisou ou pelo menos releu mensagens antigas que tinha trocado com sua ex



É o que indica pesquisa feita pela estudante de mestrado Veronika Lukacs, da Western University, do Canadá, para analisar o comportamento pós-término de relacionamento na famosa rede social.
Boa parte dos usuários também usou o perfil de algum amigo para dar uma espiada (70%) ou verificou a presença de supostos novos parceiros (74%). “Alguns usuários são stalkers assíduos no Facebook e procuram informações, enquanto outros são afetados pelo que aparece em seu feed de notícias”, diz Lukacs.
Mais de metade dos entrevistados admitiu que analisou ou pelo menos releu mensagens antigas que tinha trocado com sua ex (64%) ou ficou enciumado quando novas fotos foram colocadas (52%).
Apenas um terço dos entrevistados citou sua ex em alguma mensagem após o término e menos que isso (31%) colocou fotos com intenção de causar ciúme.
Dois dados ficaram bem divididos: metade dos entrevistados deletou as fotos de seu ex do álbum e 52% deletaram o perfil de seu amor passado.
Lukacs defenderá sua tese (“É Complicado: Términos de Romance e seus Resultados no Facebook) na semana que vem. “Eu quis ver como as consequências do término se relacionam com o uso do Facebook”, explicou a estudante. “O que descobri é que, estando no Facebook ou não, a angústia oscilou de acordo com o nível de ‘vigilância’ que predominou após o término".
Todos entrevistados que participaram da pesquisa, feita com conversas e formulários, tinham terminado um relacionamento nos últimos 12 meses.
Há um dado final e importante na tese de Lukacs: é importante mudar de senha no Facebook após um término. A estudante encontrou diversos casos de stalkers que hackearam os perfis de seus ex.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Facebook agora informa quem leu publicações e mensagens

Os curiosos mais discretos do Facebook podem estar com os dias contados. A rede social anunciou nesta semana que incluiu um alerta sobre quem leu certos itens em suas páginas. A tecnologia, por enquanto, está presente somente em partes limitadas do site, mas pode, no futuro, fazer o social stalking (bisbilhotar, sorrateiramente, o perfil alheio).
Por exemplo, quando se visita um grupo no Facebook, será possível ver os posts que cada integrante do grupo leu. Na prática, isso significa que se você está curioso em ler aquela publicação um tanto constrangedora de um amigo, os outros participantes ficarão sabendo.
O mesmo já aconte com os conhecidos (e muitas vezes detestados) social readers: aplicativos que usam notícias chamativas (muitas vezes, falsas) no Facebook e ao serem clicados e aceitos passam a informar aos seus amigos tudo o que você lê em determinado site.
Para o bem ou para o mal, parece que este é o rumo que a internet nos dias de hoje. Como já disse Eric Schmidt, ex CEO do Google, em uma entrevista, “Se você tem algo que não quer que ninguém saiba, talvez você não o deveria estar fazendo”.

 http://www.correiodoestado.com.br/noticias/facebook-agora-informa-quem-leu-publicacoes-e-mensagens_154937/

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Facebook vai destacar casamentos no feed de notícias

A função é bem parecida com ao lembrete de aniversário, e vai mostrar no canto superior direito as mudanças de status de relacionamentos para “Noivos” ou “Casados”.

Dessa forma será possível ao usuário deixar os parabéns para os recém-casados. Sempre que algum usuário mudar o status do relacionamento, vai aparecer um destaque no feed de noticias. Um representante do Facebook, explicou ao site “CNET” como será a novidade.
De acordo com ele, a rede social criou uma maneira única para as pessoas compartilharem sentimentos e darem os parabéns ao seus amigos por seus feitos, já que o casamento é um dos momentos mais importante da vida de alguém.
“Criamos esta ferramenta para garantir que você possa estar sempre de olho neste tipo de atividade, para garantir que nunca perca a oportunidade de compartilhar a alegria de seu amigo e parabenizá-lo pelo seu novo estado civil”, comentou.

 http://www.lazertecnologia.com/2012/07/16/facebook-vai-destacar-casamentos-no-feed-de-noticias/

Facebook monitora os chats em busca de atividade suspeita

Usuários do Facebook que pensam que suas conversas pelo chat da rede social são de conhecimento único e exclusivo deles estão muito enganados.Em entrevista à agência Reuters o diretor de segurança da companhia, Joe Sullivan, revelou , que a rede social implantou uma espécie de filtro nos bate-papos entre os usuários.
Com a intenção de monitorar possíveis atividades suspeitas, o sistema cria alertas quando capta conteúdos inadequados em conversas e, dependendo do caso, recomenda que um funcionário da empresa entre em contato com a polícia.
O software está de olho em bate-papos entre membros que não têm muito contato no Facebook e, de repente, começam a conversar. Este pode ser um indício de ameaça, bullying, chantagem, ou algo do tipo. O programa funciona como um scanner que procura por certas frases relacionadas a crimes como pedofilia, por exemplo. Em um caso exemplificado , um homem de 30 anos foi detido após fazer insinuações sexuais para uma menina de 13.
“A tecnologia do Facebook automaticamente identificou o rapaz, que havia marcado de encontrar a menina após a escola no dia seguinte, e avisou para um funcionário chamar a polícia. As autoridades foram à casa da menina, analisaram o PC e prenderam o homem no dia seguinte”, diz o artigo.
Não existem muitos detalhes sobre esta ferramenta, com a intenção de não dar possibiliades dos criminosos inventarem uma maneira de burlar o monitoramento. Além, é claro, de evitar a polêmica por estar bisbilhotando os bate-papos alheios. Mas a ferramenta é claramente um meio de proteger os usuários.
“Nunca quisemos fazer com que os empregados olhassem conversas pessoais, então é importante que usemos essa tecnologia com muito cuidado e somente nos casos em que realmente se fizer necessário”, explicou Sullivan.Com informações do TechTudo

domingo, 15 de julho de 2012

Sexo & Facebook

Com mais de quatro milhão de utilizadores em Portugal e mais de oitocentos milhões em todo o mundo, o Facebook é uma rede social que permite encontros que provavelmente não se dariam na vida real. 


O atrativo erótico está no seu potencial máximo, a comunicação escrita é rápida, e o facto de se dizer sem olhar nos olhos do outro acende o imaginário e permite desinibições ousadas e eficazes. Há casamentos que não resistem a encontros na rede de Mark Zuckerberg, há quem deixe de estar sozinho, há facadinhas em matrimónios que não passam disso mesmo. Há relações para todos os gostos. E uma coisa é certa: há muito sexo na rede. 

Em livro, ex-funcionária do Facebook detona a rede social e Zuckerberg

Katherine Losse, uma das primeiras integrantes da diretoria do Facebook, resolveu contar sua experiência no maior site de relacionamentos do planeta. O resultado é um polêmico livro, que ainda não chegou ao Brasil, chamado “The Boy Kings” (Os Reis Meninos).

Contratada em 2005 e demitida em 2010, Losse trata de assuntos curiosos na publicação, como o machismo e a hierarquia da companhia, o processo criativo em torno de funcionalidades, além de detalhes “íntimos” do dia a dia dos empregados da empresa.

Algumas revelações não passam de fofocas diárias, enquanto outras têm certa relevância. Losse diz que se demitiu da rede social porque o propósito para o qual a página foi criada "estava se perdendo".

Ela revela ainda que as poucas mulheres que trabalham no local são constantemente assediadas e recebem propostas indecentes, além de terem que usar camisas com fotos de Mark Zuckerberg no aniversário dele. Um outro exemplo de assédio moral era incentivar os empregados a morar perto do trabalho para o caso de alguma emergência.

Segundo a ex-funcionária, o Facebook se tornou "um exército". Ela afirma que a intenção de Zuckerberg e seus soldados era de conquistar o mundo – o que o fundador sempre garante ser possível por meio de uma empresa.

Katherine revela que, depois que outras redes sociais começaram a fazer sucesso, a ordem que vinha de cima era simples: tentar incorporá-la, ou por meio de aquisição (como no caso do Instagram) ou desenvolvimento de características parecidas (citando o Foursquare) com o lançamento do Places. Para a autora, nasceu ali uma obsessão em busca do topo.

Ela ainda conta sobre algumas funcionalidades que acompanhou e nunca saíram do papel, além de falar sobre seu acesso a qualquer conta de qualquer usuário do mundo – independente de suas configurações de privacidade.

A ideia do livro, obviamente, é desmistificar um pouco a imagem de que Mark Zuckerberg é um grande gênio trabalhador e um ótimo patrão. Além, é claro, de mostrar que o que pode parecer um emprego dos sonhos pode acabar se tornando uma tarefa complicada. Segundo a ex-diretora, há regras rígidas, como sempre estar usando o Facebook, nunca sair cedo, fazer hora extra se necessário e, claro, nunca falar mal da plataforma.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Facebook monitora conversas para denunciar 'comportamentos suspeitos'

Pode não parecer, mas o Facebook está de olho em você. O diretor de segurança da companhia, Joe Sullivan, revelou em entrevista à agência de notícias Reuters, que a rede social implantou uma espécie de filtro nos bate-papos entre os usuários. Com o pretexto de monitorar possíveis atividades suspeitas, o sistema cria alertas quando há conteúdos inadequados em conversas e, dependendo do caso, recomenda que um funcionário entre em contato com a polícia.


O foco do software está em bate-papos entre membros que não têm muito contato no Facebook e, de repente, começam a conversar. Este pode ser um indício de ameaça, chantagem, bullying ou algo do tipo. O programa é uma espécie de scanner que procura por certas frases relacionadas a crimes como pedofilia, por exemplo. Em um caso exemplificado pela Reuters, um homem de 30 anos foi detido após fazer insinuações sexuais para uma menina de 13.
“A tecnologia do Facebook automaticamente identificou o rapaz, que havia marcado de encontrar a menina após a escola no dia seguinte, e avisou para um funcionário chamar a polícia. As autoridades foram à casa da menina, analisaram o PC e prenderam o homem no dia seguinte”, diz o artigo.
Ainda não há muitos detalhes sobre esta ferramenta, até pelo fato de o Facebook não querer divulgá-la para evitar que os criminosos saibam como burlar o monitor. Além, é claro, de evitar a polêmica por estar bisbilhotando os bate-papos alheios. No entanto, uma coisa é certa: este é mais um passo da rede social de Mark Zuckerberg para auxiliar na proteção aos seus usuários.
“Nunca quisemos fazer com que os empregados olhassem conversas pessoais, então é importante que usemos essa tecnologia com muito cuidado e somente nos casos em que realmente se fizer necessário”, explicou Sullivan.